Just another WordPress.com site

Quiçá, uma das maiores discrepâncias entre o modelo adotado pelo Mercosul e aquele tido em mente pelos governantes (o da União Europeia) é o descaso com a unificação do sistema educacional entre os países signatários.

Um bloco econômico que, na atualidade, constituiu uma Área Livre de Residência e Trabalho não pode furtar-se de regular o supedâneo de toda e qualquer mão de obra qualificada: a educação. A falta de sintonia entre as universidades dos países membros é patente mesmo nas provas de proficiência de língua estrangeira para mestrados e doutorados onde simplesmente há a ausência da língua espanhola nas universidades brasileiras. Tal fato deve ser considerado como um desrespeito à produção acadêmica dos países vizinhos, cuja língua oficial é o espanhol (em sua maioria). Em alguns casos, mesmo nas provas para ingresso nos cursos superiores não há a opção do idioma espanhol.

Criou-se, no Brasil, uma espécie de repúdio aos diplomas de pós-graduação conferidos em instituições de ensino superior de demais membros do Mercosul, como se, de alguma forma, fosse possível facilitar residência e trabalho em tais países sem que a educação fosse vista como de mesmo valor.

Líderes debatem os empecilhos políticos e jurídicos para uma maior integração panlatina olvidando a força propulsionadora e a grande função social que tem a educação, seja qual for o território. Se é desejo nosso que as fronteiras já não sirvam de obstáculo para a economia, mister se faz levar em alta conta o capital intelectual dos países que, como nós, assinaram o Tratado de Assunção, em 1991.

Nesse sentido, recebemos um convite do IUNIB – Instituto Universitário Brasileiro, um dos grandes responsáveis pelo intercâmbio educacional em nível de graduação e pós-graduação no Mercosul, para nos fazermos presentes em Audiência Pública sobre o Processo de Revalidação de Diplomas. A audiência ocorrerá no Auditório da Comissão de Educação e Cultura da Câmara dos Deputados, às 10h00 do dia 07 de julho de 2011.

Já há diplomas legais que objetivam a revalidação. Contudo, o processo é dificultado por burocracias dispensáveis em absoluto, razão pela qual é de bom alvitre o “reexame” da matéria legal.

Entre os convidados, estarão os representantes do MEC, ANDIFES, CNE, UNE, ANPGIEES, IUNIB-APROBATUM, UNIVERSIDADE LUSÓFONA, Senador Cristovam Buarque.

Não há saber mais ou saber menos: há saberes diferente”.

Paulo Freire

 

Comments on: "#Mercosul – Integração sem #Educação?! – #ProfJessicaSombra" (1)

  1. Já não era sem tempo. A revalidação dos diplomas proporcionará o aumento de profissionais capacitados e preparados. Quiçá se estenda aos cursos de curta e média duração e os realizados através da Educação à distância (EAD).
    Abraços!

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

Tag Cloud

%d bloggers like this: