Just another WordPress.com site

Posts tagged ‘Café com Coaching’

#CCC #ProfJessicaSombra – #Coaching com #Café – Dia 3

Pedimos perdão pela ausência de post, ontem. Tal questão foi inviabilizada pelo fato de termos passado o dia inteiro na estrada, a caminho da cidade de Araraquara/SP. Assim, o projeto “Coaching com Café”, da Prof. Jessica Sombra, terá continuidade a partir daqui.

11 – Aprender a trabalhar em equipe

O Prof. Hilsdorf faz a excelente observação de que uma verdadeira equipe trabalha por meio da cooperação e interdependência entre seus membros, a fim de que o resultado maior seja atingido. É fato que, não raramente, nosso trabalho demanda que nos relacionemos com pessoas de quem não gostamos ou com quem não temos o mínimo de afinidade. Eis, justamente, o desafio de se trabalhar em equipe: lograr êxito, por meio da competência, profissionalismo, comprometimento, disciplina, independente de qualquer afinidade com os demais membros da staff. Nas palavras do Prof. Hilsdorf, “jogadores geniais ganham jogos, ao passo que verdadeiras equipes ganham campeonatos”. Considerando que ser bem sucedido é um esporte, que tal começarmos a praticar agora mesmo?

12 – Exercer a tolerância

Há um paradoxo na vida que trata exatamente do fato de que, por sermos seres gregários, necessitamos da compreensão dos demais. E o entendimento daqueles de quem mais precisamos é, justamente, o que menos temos. Mister se faz ser tolerante consigo e com o próximo. É dessa forma que a coexistência é efetivada, respeitando-se as diferenças de cada qual. Felizes são os dizeres do Prof. Hilsdorf ao asseverar que “a tolerância é o exercício simultâneo do amor, da humildade e da paciência”. Quem disse que é impossível fazer tudo isso de uma só vez?

13 – Aprender a cooperar

Os bons resultados obtidos através do cooperativismo só corroboram nossa tese de que unir esforços em prol de um objeto comum continua sendo das estratégias mais válidas. O sentimento de cooperação, como todos os pontos aqui discutidos, também carece de prática. Cooperar é utilizar as dificuldades como degraus para o melhoramento, é não permitir que, aquilo que separa a equipe, destrua o que a une.

14 – Demonstrar esforço extra

Ser bom é querer sempre ser melhor ainda, é trabalhar no esforço adicionar, superar a si mesmo, surpreender com uma dedicação que, até o momento, parecia ter-se esgotado. Quando todas as pessoas “comuns” se cansarem, é que começaremos a trabalhar de verdade!

15 – Aprender com as críticas

Não importa se a crítica é construtiva ou destrutiva. Nossa missão é aprender com ambas. Mesmo as mais duras observações podem comportar um fundo de verdade. Estejamos, pois, atentos a tudo o que nos é dito. A peneira do bom senso será suficiente para filtramos aquilo que servirá de aprendizado. Por mais negativo que seja, no fim das contas, continua sendo uma espécie de feedback. Seja grato da mesma forma! Assim se comportam os campeões!

Foto: Prof. Lucilene Cury, de Comunicação Social, da USP e Prof. Jessica Sombra.

#CCC #ProfJessicaSombra – #Coaching com #Café – Dia 1

Como fruto do nosso intercâmbio aqui, em São Paulo, com alunas estadunidenses que estão fazendo um curso de Business na Fundação Getúlio Vargas, consolidamos nossa intenção de escrever, durante esta semana, sobre coaching. Várias serão as dicas e assuntos para que qualquer carreira possa ser alavancada – algo que, infelizmente, as faculdades de Direito não dão, sequer, o norte para seus pupilos.

Como a Prof. Jessica Sombra tem a intenção de revolucionar o estudo jurídico no Brasil (sim, nós temos essa pretensão, e sim, nós conseguiremos), a importância de dar dicas de carreira não carece de mais delongas… A ver!

Para o Prof. Carlos Hilsdorf*, antes de tudo e qualquer coisa, tem-se de:

1 – Conservar a humildade

Segundo o autor, há uma verdadeira confusão entre prezar pela humildade e confundir tal ação com subserviência ou inferioridade. É mister dizer que ser humilde tem muito mais relação com o respeito, à dignidade e ao autoconhecimento. Não se pretende, aqui, anular todas as experiências e láureas tidas por alguém. Apenas se sabe que, por maior que seja o fluxo de informações e conhecimento atual, o que apreendemos é muito pouco em face do que ainda temos de incorporar. O Prof. Hilsdorf é claro ao dizer que “ser humilde não é acreditar que somos menos do que os outros; ser humilde é saber que não somos mais que ninguém”. Ditas palavras vão de encontro com o caráter elitista e, por vezes, esnobe, da graduação de Direito, Medicina, Engenharias, tidas como profissões-vitrines. Hoje é um ótimo dia para começar a ser humilde!

2 – Desenvolver atitudes vencedoras

Considerando que a vida é uma verdadeira estrada com bifurcações, muitas são as alternativas que se nos aparecem. Conformar-se e, simplesmente, abster-se de escolher, ativamente, é escolher passivamente aquilo que os outros já se deram ao trabalho de selecionar. Observa-se que as escolhas tem o condão de limitar ou tolher nossos potenciais. Logo, primar por aquelas que consubstanciam-se no nosso crescimento e autorrealização é quase um dever para consigo mesmo. O psicólogo William James afirmou que: “a maior descoberta de minha geração é que qualquer ser humano pode mudar sua vida mudando sua atitude”. Alguém poderia resumir o parágrafo com a simples constatação: é necessário transformar as dificuldades em oportunidades. Quais os desafios para hoje?

3 – Ser organizado

Eis uma tarefa que não está no rol das mais fáceis. Começar a organizar coisas é como deixar nossos sonhos, vontades e aspirações em ordem, utilizando inúmeros critérios, entre os quais se encontra a prioridade. Palavra da vez: planejamento. Como disse o Prof. Hilsdorf, “quando começamos a organizar as coisas, estamos começando a desenhar nosso sucesso”. Antes de perguntar-se qual seria a melhor maneira de efetuar a atividade, deve-se perguntar o que há para ser feito; qual a urgência para sua realização, definindo e criando um quadro de prioridades. O próprio escritor inglês Charles Dickens confidenciou: “eu nunca poderia ter feito o que fiz sem os hábitos da pontualidade, ordem e aplicação, e sem a determinação de me concentrar em um assunto de cada vez”. Assim, o que vamos fazer primeiro?

4 – Manter o foco

Sem saber o que se quer e onde se quer chegar, mais tortuoso torna-se o caminho para o rol dos bens sucedidos. O Prof. Hilsdorf é enfatático ao dizer: “se um navio errar um grau em sua rota, poderá chegar ao continente errado. (…) Focar é fazer que toda a nossa energia e concentração estejam direcionadas para o alvo”. Não raro, ouve-se dos parentes para que “nos orientemos”. É essa a ideia. Unir os esforços para um fim comum, tendo em mente, em clareza meridiana, quais são os nossos objetivos e o caminho a ser trilhado para chegar até lá, com dificuldades.

5 – Ter disciplina

Ninguém nasce com a consciência de que é preciso persistir para que as coisas se concretizem. Disciplina é uma questão de hábito e, como todo costume, é com o exercício cotidiano que se incorpora à nossa vida. Na magistral observação do Prof. Hilsdorf, a disciplina nos permite: a) evoluir em todas as barreiras e dificuldades aparentemente intransponíveis; b) compreender o valor das pequenas atitudes mantidas ao longo do tempo; c) ampliar nossas habilidades e conhecimentos; d) vencer a nós mesmos e nossas dificuldades físicas, mentais e espirituais. As experiências demonstram que a vida costuma laurear os disciplinados. Hora de empeçar!

  • O Prof. Carlos Hilsdorf é economista, pós-graduado em Marketing pela Fundação Getúlio Vargas, é autor de livros, consultor de empresas e pesquisador do comportamento humano, assim como a Prof. Jessica Sombra.

– Nosso projeto #CCC é uma forma de despertar nos alunos de Direito e demais áreas, a necessidade de construir um conhecimento que permita uma qualidade de vida e de carreira. Escolhemos a rede Starbucks por representar ideais que coadunam com aquilo que defendemos.

Foto: Prof. Jessica Sombra

Tag Cloud