Just another WordPress.com site

Posts tagged ‘Judeu’

O Caso @DaniloGentili e a Resposta da nossa Comunidade

Nesta última semana, uma onda de comentários com teor antissemita invadiu a internet brasileira. Era uma reação ao movimento de moradores do bairro paulistano de Higienópolis para impedir a abertura de mais uma estação do Metrô na região. Como o bairro possui grande quantidade de moradores judeus, estes passaram a ser acusados de estarem à frente do movimento, por seu caráter supostamente elitista.

Como parte de seu trabalho diário no combate ao antissemitismo na internet, o projeto Israel na Web (@israelnaweb), apoiado pela CONIB (@coniboficial), monitorou e alertou durante todo o dia a comunidade e as instituições judaicas para o que estava ocorrendo. No meio da tarde, um comentário no Twitter feito pelo humorista Danilo Gentili (@danilogentili) destacou-se dos demais: “Entendo os velhos de Higienópolis temerem o metrô. A última vez que chegaram perto de um vagão foram parar em Auschwitz.”

A virulência do comentário e a notoriedade do autor (estrela do programa CQC, da Band, com 1,5 milhão de seguidores no Twitter) fez com que o projeto Israel na Web iniciasse imediatamente uma campanha de protesto (http://on.fb.me/kdpFO5) contra o desrespeito de Danilo Gentili à comunidade judaica paulistana e, principalmente, aos 1,5 milhão de mortos em Auschwitz.

Através de sua página no Facebook (http://facebook.com/webisrael), o projeto convidou todos os indignados com o comentário do humorista a enviar críticas a ele em seu perfil no Twitter, utilizando a marcação #calabocadanilo. Em poucas horas, centenas de pessoas em todo o país (judeus e não-judeus) já estavam participando da campanha. Segundo o serviço de monitoramento TweetReach, 12 horas após o início da campanha, os comentários com a marcação #calabocadanilo já haviam sido visualizados 68 mil vezes, por 38 mil usuários do Twitter. E a cada minuto chegam mais (http://bit.ly/ifbneu).

Ainda na tarde de quinta-feira, o humorista, ciente da reação desencadeada, decidiu remover seu comentário ofensivo. No fim da noite, publicou duas notas se desculpando pelo ocorrido, fato noticiado em veículos como o Estadão (http://bit.ly/iCQMrg), que destacaram a participação dos internautas na campanha iniciada pelo Israel na Web.

Nós, judeus, agradecemos a todos que serviram de observatório e protestaram contra tal prática. Esperamos mais consciência de quem usa os veículos de comunicação em massa ou, do contrário, tomaremos, a cada vez, medidas mais drásticas.

Advertisements

It Gets Better – Gay Orthodox Jews

Eu (@jessicasombra) demorei anos em terapia com psiquiatra e psicólogo, além de gastar uma fortuna para poder aceitar a mim mesma, do jeito que nasci: uma judia gay. Aprendi que não poderia exigir o respeito e a compreensão dos outros se nem eu mesma dispensava tal tratamento à minha pessoa. Foram quase dez anos de dolorosos embates, com fármacos e especialistas. Nenhum viu a homossexualidade como doença. Todos uniam esforços para que eu pudesse aliar as minhas crenças à minha condição sexual. E, hoje, vivo orgulhosa por ser duplamente abençoada como gay e judia. Recebi um video, em inglês e sem legendas, cujo título é o mesmo deste post e me emocionou bastante. Assim, desejo compartilhá-lo:

Não almejo muita coisa além de respeito com a minha fé, dignidade humana e minha condição sexual. É uma questão de humanidade. Se você se considera humano, é de bom tom que comece a pensar em dar um basta na homofobia. Não precisa ser gay para saber que ser homofóbico é que se trata de uma aberração. As frases que mais me tocaram no vídeo foram as seguintes:

Quanto mais você vive sua vida baseado em quem você é, um amigo melhor, um filho melhor, um irmão melhor, um judeu melhor você será.

Queria ter conseguido falar a mim mesmo o seguinte: amor e apoio estão ali, seus amigos estão lá e até mesmo aprendi que minha família está lá.

É assim que D-us criou você! D-us me criou como judeu e como gay.

Se você fechar os olhos neste momento e, pensar no que se sente, no que parece ser abandonar aquela nuvem negra sobre você, aquele fardo, abandonar aqueles sentimentos de desesperança e abandono e pensar em quão incrível será ser plenamente capaz de viver o que você é e ainda ter amigos, sua comunidade, e ser respeitado: posso lhe prometer e garantir que essa sensação é mil vezes melhor, na vida real.

Eu prometo! As coisas melhoram!

O vídeo recomenda e faz referências a: JQYouth e GLYDSA.

Twitters, entre vários, apoiados pela @jessicasombra: @QueerBrasil; @homofobiaNAO; @FantabulousGays; @actuporg; @gaycombr; @gaybrasil; @gaycivilrights; @CaleidoscopLGBT; @SuperDir_Seasdh; @LGBTES.

Tag Cloud